Reflexão do dia 25 de Janeiro

o que precisamos - um ao outro

... Alcoólicos Anônimos está sempre a dizer a todo beberrão contumaz: "Você será um membro de Alcoólicos Anônimos se assim o quiser... ninguém poderá mantê-lo de fora".

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES PG. 125

Por anos, quando refletia sobre a Terceira Tradição ("Para se membro de A.A. o único requisito é o desejo de parar de beber"), achava isto bom apenas para os ingressantes. Era sua garantia de que ninguém podia barrá-los em A.A. Hoje, sinto uma gratidão permanente pelo desenvolvimento espiritual que a Tradição trouxe para mim. Obviamente, eu não procuro pessoas diferentes de mim mesmo.

A Terceira Tradição, concentrada na única maneira em que sou igual aos outros, levou-me a conhecer que sou igual aos outros, levou-me a conhecer e a ajudar todo tipo de alcoólico, da mesma forma como eles também me ajudaram.

Charlotte, a atéia, mostrou-me os mais altos padrões de ética e de honra; Clay, de outra raça, ensinou-me a paciência; Winslow, que é gay, levou-me pelo exemplo à verdadeira compaixão; a jovem Megan diz que ver-me nas reuniões, sóbrio 30 anos, faz com que ela continue voltando. A Terceira Tradição garante que conseguiremos o que precisamos: um ao outro.